A falta de profissionalismo do Internacional

scocco, inter, internacional, colorado,sport club internacional

O Internacional aceitou o pedido de Scocco e vai buscar um novo clube ao argentino.

Mais uma vez, a direção do Internacional demonstrou incompetência na gestão dos assuntos sobre o futebol do clube. E onde não há bons profissionais, sempre haverá pessoas para tirar proveito.
Scocco é empregado do Internacional. O passe do argentino é do Inter. E inadmissível que um clube da grandeza do Colorado permeta que um atleta dite as regras ! Ainda mais, se esse atleta é importante para o grupo e para as pretenç ões do clube na temporada que esta para iniciar.
O que o Inter pode e deve fazer por Scocco é ajudá-lo a encontrar motivação, utilizando todos os recursos necessários para isso, do D’Ale à um psicologo argentino, caso seja necessario. Mas não pode, absolutamente, subir tal pressão.
Essa falta de profissionalismo do Scocco não pode ser aceita por um clube do tamanho do Inter ! Essa irresponsabilidade do atacante Colorado, deve ser tratada como um desrespeito e não como uma vontade. E para a falta de educação o remédio pode ser Alvorada, caso seja necessario.
Mas tudo isso deve ser conversado internamente. E incrível a falta de profissionalismo no Internacional. Managers despreparados, incapazes de encontrar linhas estratégicas quando devem resolver assuntos importantes.
A declaração do diretor de futebol, Eduardo Lacher, à Radio Guaiba é digna de demissão !
– Provavelmente ele vai treinar separado do grupo. Vai se recuperar dessa lesão em Porto Alegre e a partir do momento em que estiver recuperado, vai treinar em outro lugar porque o Abel não vai querer contar com ele, disse ele.
Primeiro se desconhece a fonte porque não é claro se essas palavras são do Lacher ou do Abel. E em segundo lugar ele simplesmente descarta desde ja a permanência do Scocco no Inter em 2014. De qualquer forma, o Abel, em um primeiro momento, não deve participar desse tipo de decisão. Ele deve ser comunicado do epsódio e da decisão da direção, nada mais.
É preciso fazer um programa de recuperação para o Scocco e um planejamento com inicio, meio e fim para que o jogador encontre a motivação justa. Mas depositar energia atrás de um clube porque o Scocco esta com nostalgia das férias na Argentina é um erro grave que nao se pode cometer. Demonstra uma fragilidade muito grande e que pode trazer consigo problemas futuros.
Imaginem se a moda pega. Terá fila no departamento de RH do Internacional porque jogadores em situação simile não faltam : Muriel, Josimar, Alex, Forlan…

Etiquetado , , , , ,

Com 8 gols chegou ao Inter, com 5 ao Santos

Leandro Damiao, Damiao, Internacional, Colorado, Inter

O retorno financeiro que Leandro Damião trouxe aos cofres do Colorado foi imenso.


Uma carreira incrível ! Ninguém fez tão pouco e recebeu tanto como Leandro Damião. Nem o Hulk !
O Internacional finalmente vendeu Leandro Damião. Uma única oferta e o negócio foi fechado. Nunca houve uma oferta internacional. Quero acreditar que a presença de Damião no time titular teve esse único objetivo, forçar a sua venda. Ao contrário dos últimos técnicos, Abel não será escravo de ex-atacante do Atlético Ibirama. Provavelmente, Damião foi um dos maiores negócios que o Internacional já fez na sua história. Uma carreira incrível, se pensarmos que até 2009 ele jogava o campeonato Catarinense.
Vida nova ao ataque Colorado ! Não precisamos de atacantes, muito menos de um novo goleiro. Precisamos de volantes que dêem ao D’Ale a possibilidade de jogar mais perto da area.

Etiquetado , , ,

Clémer, treinador que pára coletivo

Clémer internacional brasileirão campeonato brasileiro treinador treinadores

Clémer pára, mais uma vez, o treino do Internacional para ajustar o posicionamento dos jogadores.

O Clémer é um treinador que pára coletivo. Pode parecer banal, mas muitos treinadores não fazem isso. Esse método é fundamental para corrigir os erros de posicionamento. Não existe quadro negro, vídeo ou conversa que possa substituí-lo.
A presença física do treinador dentro de campo, acompanhando cada movimentação da equipe como um árbitro com apito na boca é impresindível para o sucesso do conjunto.
É sabido que a atenção dos jogadores se perde com o decorrer do jogo. Contra o Fluminense, assim como nos treinos, Clémer esteve à beira do gramado orientando o time durante os 90 minutos. Isso faz a diferença.
Sempre se falou dos títulos que o Clémer conquistou nos últimos anos, agora inicia-se a falar sobre a sua forma de trabalhar.
Parar treino é um pré-requisito fundamental para o sucesso do treinador e seus jogadores. Treinador que não pára treino ou é vagabundo ou não conhece futebol.
Clémer é um trabalhador.

Etiquetado , , , , ,

Jorginho e Rildo: péssima gestão

Rildo, jorginho, ponte preta

Clubes, como a Ponte Preta, deveriam oferecer cursos de gestão de pessoas aos seus treinadores.


A ignorância do Jorginho e do seu auxiliar, Marcelo Cabo, na gestão imediata do problema que ocorreu durante o treino da Ponte Preta com o jogador Rildo é de arrepiar os cabelos.
Não basta ser ex-jogador, branco e ter um domínio da língua portuguesa acima da média para ser um bom treinador. É necessário muito mais.
Assim como Rildo, Jorginho se encheu de emotividade e expulsou o atleta do treino. Em seguida, foi à imprensa e disse que uma atitude como essa deve ser punida e que a direção tomará as devidas providências.
Jorginho demonstrou total falta de competência na gestão do problema.
Em momentos como esse, o jogador deve ser chamado de lado, só ele e o treinador, talves na presença do auxiliar. Uma vez afastados do grupo, você explica a mudança e conversa sobre a importância dele para o grupo etc e tal.
A forma a qual o Jorginho se comportou é de chefão-gorila. “Aqui mando eu!” Esse autoritarismo não funciona mais há anos. Sequer chamou para si a responsabilidade, deixando a batata quente nas maõs da direção.
Assim, Jorginho jamais será um líder, será, simplesmente, mais um dos tantos chefes que existem pelos campos.

Etiquetado , , , , ,

Um goleiro negro para a França

Copa do mundo 2014, seleção grancesa, Hugo Lloris, goleiros negros

Hugo Lloris, goleiro da seleção francesa, provavelmente, será o titular na Copa de 2014 no Brasil.


Sábios são os treinadores que dizem que um time se constrói a partir de um grande goleiro. Eu concordo, mas nem todo mundo pensa assim.
A França, por exemplo, tem um goleiro ruim. E quando se trata de um país com 80 milhões de habitantes eu não posso acreditar que ele seja o melhor.

A França nunca foi uma escola de goleiros. Basta pensar no carequinha Barthez. Era mais folclore que qualquer outra coisa. O defensor atual, Hugo Lloris, é limitado tecnicamente e não passa a mínima segurança ao time. Contra a Bielorussia, foi culpado pelos dois gols que o time sofreu.

Depois da Segunda Grande Guerra, a França foi buscar homens nas suas colônias africanas. Além de uma melhor condição de vida, puderam trazer junto com a mala, a família inteira. E, desde então, a França é um Estado de brancos e pretos, católicos e musulmanos.

Muitas colônias francesas, como por exemplo, a Nigéria, tem uma população masculina formada por homens altos e fortes. E a seleção francesa é o reflexo da sua população (e não poderia ser diferente). É um time composto por muitos jogadores negros que carregam todas as melhores características da raça: altos, ágeis e de muito vigor físico.

Já faz alguns anos que ser goleiro no Brasil deixou de ser um sonho só de meninos brancos. Dida, Jefferson, Aranha, Bruno e Edinho são alguns exemplos de goleiros negros que tiveram sucesso embaixo das traves.

Me parece que a França tem um grande potencial que não está sendo explorado.

Etiquetado , , , , ,

Éverton Ribeiro e o seu gol bonito

Éverton Ribeiro, cruzeiro, campeonato brasileiro, flamengo, golaço, marcelinho carioca, santos, vila belmiro

Cadê? A bola de Éverton Ribeiro, do Cruzeiro, subiu mais de 2 metros e depois quase beijou a trave.

Golaço! Comentaristas de jornais, rádios e TVs são unânimes! Eu devo ser do contra, não é possível. Ou eu sou super exigente? Talvez seja isso, porque eu discordo totalmente desses imbecis que nunca sequer brincaram de dar balãonzinho, chapéu ou lençol na vida deles. Sabe o que teriam dito lá na escola ou na rua do bairro? Porra, você chama aquilo de chapéu? Foi um balão para cima! Teriam dito isso pelos campos onde joguei.
Mas o torcedor médio, aquele que na verdade é surfista, skatista e joga basquete, achou um golaço. Enfim, o Brasil é repleto de homens que não conseguem fazer dez embaixadinhas com o mesmo pé! Não são capazes de avaliar o gesto técnico.
O lance do Éverton Ribeiro me lembra uma série de “lençois” que o Cafu aplicou sobre o pobre/coitado do Nedved, em um clássico romano. Me lembro como se fosse hoje, aquele bola do Cafu viajou alta, de um lado para o outro e o idiota do Nedved que corria de um lado para o outro.
A bola do Éverton também subiu demais para o meu gosto e depois, ao contrário do que fazem os verdadeiros craques, deu uma bomba que por detalhe não foi para fora! Olha, estamos falando de pouquíssimos centímetros. Dez centímetros e aquela bola não entrava!
Não merece uma placa! O planejamento foi ótimo, mas a execusão não, teve elementos de sorte, de risco o que descaracteriza o gol de placa.
Gol de placa foi o do Marcelinho Carioca em 96, na Vila Belmiro.
Confere o vídeo abaixo. A diferença é enorme. Não podem ser paragonados e visto que o do Marcelinho foi de craque o que foi o gol do Éverton Ribeiro?

Etiquetado , , , , , , ,

Emerson Sheik e a falta de fair play

Emerson sheik, corinthians, sheik, gato no futebol

Emerson Sheik sendo duramente criticado por um colega de profissão depois de encenar um pênalti.


Emerson Sheik, que na verdade se chama Márcio Passos de Albuquerque, já foi preso pela Polícia Federal quando tentava embarcar para os Emirados Árabes com uma certidão de nascimento falsa – nome e data de nascimento – utilizada anos atrás para ingressar na categoria sub-14 do São Paulo. Já teve problemas com o IBAMA por possuir um animal ilegalmente. Já foi acusado de contrabando de veículo e lavagem de dinheiro.
Com o seu modo brincalhão de ser (se espelha em Edmundo!), foi expulso do Fluminense e são incontáveis as discussões que gera postando piadas provocativas no seu perfil do Twitter.
Mas o que tudo isso tem a ver com o futebol? Bom, no caso do “Sheik”, apelido recebido na sua volta ao Brasil depois de jogar por muitos anos no Catar, muito.
Uma coisa é tu transar com travesti, outra bem diferente é tu responder por contrabando e lavagem de dinheiro. Ronaldo descobriu as facilidades do mundo do business depois de aposentado, Emerson Sheik na adolescência enquanto roubava o sonho de outros meninos.
Um cara que demonstra a cada jogo a falta total de fair play.
No jogo contra o Vitória, encenou uma cena de um pênalti e após a partida, na maior cara de pau, disse publicamente que “ninguém está aqui para brincadeira”. Contra o Fluminense, rolou por uns 10 metros, depois de ter deixado, mais uma vez, a perna para sofrer falta em uma jogada que acabou resultando na expulsão de um jogador do time adversário. São inúmeros os lances em que ele tenta ludibriar o árbitro ou que se envolve em confusões com outros atletas.
Poucos jogadores mostram tanto a casa na TV como ele. Diz preferir o teatro à roda de pagode, o champagne à cerveja, enfim, uma pessoa arrogante e exibicionista. Pelo exemplo que é para os milhões de torcedores que seguem o futebol brasileiro e pelo seu passado deveria ser banido do futebol!
E tem a cara de pau de desaprovar o ato do Valdívia! Tu, não! Tu deveria ficar calado.
O cara que acha que o futebol irá ficar mais chato depois que se aposentar porque ninguém mais fará brincadeiras como as suas. Inclusive, se sente sozinho por ser o único a manter viva a essência do futebol. Louco, completamente ignorante em relação ao verdadeiro significado do jogo. Torço para que tu te aposente o quanto antes. Com 36 anos e não 33, tu já foi longe demais!

Etiquetado , , ,

Os gols mais bonitos da rodada número 13

Lucas evangelista, são paulo, brasileirão, campeonato brasileiro, golaço, gol bonito

O são-paulino Lucas Evangelista e Hernane, do Flamengo, marcaram dois golaços no final de semana.

Publiquei no Twitter (@blognuecru) os 5 gols mais bonitos na opinião da Sportv. Depois de ter visto os outros gols, realmente fica difícil de selecionar outros. Mas não é motivo de valorizar o que não existe.

Segue o link para ver os gols
http://sportv.globo.com/videos/brasileirao-serie-a/t/gols/v/confira-os-cinco-candidatos-ao-gol-mais-bonito-da-13a-rodada-do-brasileirao/2751731/

Por exemplo, dizer que o Léo Moura fez uma “jogadaça” é sacanagem! Deu muita sorte! Mas o gol do Hernane foi um baita gol. Fechou no primeiro pau um pouquinho adiantado em relação ao tempo da bola, mas soube esperar o momento justo para dar o toque de letra.
A “bomba” do Ralf, do Corinthians, parece que bate em alguém da defesa. Essa é a minha impressão. O goleiro quase pegou. Longe de ser um dos gols mais bonitos da rodada.
Que presente do lateral esquerdo do Internacional nesse carinho, heim! De uma infantilidade imensa. Um jogador com a experiência dele não pode querer jogar para a torcida. O gol do Éderson, do Atlético Paranaense foi um gol que previlegia a técnica, mas não pode ser considerado um grande gol.
Já o Lucas Evangelista… esse sim fez um golaço! Um jogador com essa habilidade e altura, logo será negociado com algum time europeu.
E o Biteco, do Grêmio? Por favor, pegou na orelha da bola. Picou três vezes antes de entrar e me parece que o goleiro ainda tocou na bola. Deu sorte!
Foi mal o futebol brasileiro nesse final de semana.

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Renato Portaluppi: mais um conversador

Renato portaluppi, grêmio, campeonato brasileiro

Em seis jogos, Renato Portaluppi utilizou quatro esquemas táticos diferentes.

Qual a convicção maior que um treinador deve haver? Indiscutivelmente, o modelo de jogo, o esquema tático.
Quando o treinador chega em um novo clube ele deve fazer opções, seguir o esquema tático do antigo treinador, modificá-lo ao longo da temporada ou implementar um novo em base às características físico-técnicas dos atletas. Tal decisão deve ser tomada tendo em consideração um fator fundamental, o tempo.
O Grêmio substituiu Vanderlei Luxemburgo por Renato Portaluppi com o campeonato brasileiro já em andamento. Nesses casos, o tempo é inexistente.
Quando Renato chegou ao Grêmio o time já havia feito mais de 30 partidas desde o início do ano. E ele decidiu mudar tudo.
Burro! Nos últimos 6 jogos, mudou o esquema do time 4 vezes!
Com um grupo de 30-35 jogadores, ou tu tem a capacidade de identificar as qualidades e defeitos dos jogadores em um curtíssimo espaço de tempo ou tu tem a convicção de um esquema tático.
O Renato Portaluppi é a prova da falta de profissionalismo que existe no país da próxima Copa do Mundo. Mano, Renato, Adilson… todos farinha do mesmo saco. Enganadores de presidentes ignorantes.

Etiquetado , ,

Messi? Ronaldinho é melhor!

Ronaldinho, ronaldinho gaúcho' atlético, atlético mineiro, libertadores

O melhor do mundo não pode ser medido pelo país onde joga ou pelos kilômetros que corre.


Como é possível criticar um jogador de tamanha qualidade técnica como Ronaldinho? Um dos grandes responsáveis pelo sucesso atleticano. O Messias de um time que não ganhava nenhum campeonato de expressão desde 1971, quando foi campeão brasileiro. Qual o jogador no mundo, hoje, consegue tal façanha? Pouquíssimos jogadores na história do futebol carregaram seus times à títulos.
Ronaldinho tem feito coisas incríveis dsede que chegou ao Atlético. Não se vêem pelos gramados jogadores com tal nível técnico.
É o melhor do mundo!

Etiquetado , , , , ,